ÁREA RESTRITA

Selecione uma das 2 formas abaixo, para sua identificação: Cooperado Parceiro Comercial
Cadatre-se Acesso Restrito

Para sua identificação na área restrita, selecione uma forma abaixo:

Acesso pelo Cartão Acesso por E-mail

Skip Navigation Links
Skip Navigation Links

Cooperativismo

SÍNTESE DA HISTÓRIA DO COOPERATIVISMO ANTIGO

As raízes do cooperativismo mergulham na vastidão do tempo.

Tem-se conhecimento, em todas as épocas da vida da humanidade, de formas de economias coletivas que muito se assemelham ao cooperativismo.

Através das investigações dos egiptólogos franceses, Rivillout e Lubroso, sabe-se que no IMPÉRIO DOS FARAÓS, os trabalhadores daquele tempo já se organizavam em grêmios, cujo regime cooperativo era muito desenvolvido para a época.

Na civilização dos INCAS, o trabalho era em comum, sob a forma de cooperativa integral e moderna, cuja produção agrícola e pastoril, era dividida segundo o trabalho prestado de acordo com a necessidade de cada participante.

A organização agrária era que sustentava o regime dos AZTECAS, muito semelhante à dos INCAS. O rei repartia as terras para os seus súditos, reservando-lhes sobre elas soberania porém sob compromisso de desfrute ininterrúpto.

Encontramos semelhanças cooperativistas pelo menos nos seguintes pontos:


  • Eram homens livres que desfrutavam do produto de seus esforços e não assalariados do Rei;
  • O sistema de irrigação era construído e utilizado coletivamente;
  • Também coletivamente combatiam as pragas;
  • Construiam obras de defesa e de embelezamento das terras que lhes pertenciam;
  • Emprestavam sementes entre si, se a colheita de alguém fosse perdida e, cuja operação era realizada pelo Senhor do local;
  • Selebravam coletivamente as suas festas religiosas;

A essência da atividade daquele povo era, inegavelmente, a cooperação de seus membros para a produção.

Os INCAS, por sua vez, deixaram raízes profundas de suas tendências cooperativistas na psicologia dos povos andinos, notadamente peruanos.


PRECURSOSRES DO COOPERATIVISMO ORGANIZADO


  • ROBERT OWEN (1771-1858) - “O pai da cooperação”. “O bom deveria florescer no homem através de uma sólida educação moral e, depois deveria viver em um ambiente econômico apropriado” (Robert Owen).
  • WILLIAM KING (1786-1865) - Considerado o verdadeiro precursor do cooperativismo.
  • WILLIAM THOMPSON – Médico Irlandês e discípulo de Robert Owen.
  • CHARLES FOURIER (1772-1837) – O utopista do cooperativismo.
  • GEORGE JACOB HOLYOAKE (1817-1906) – Foi um grande socialista-cristão.
  • LOUIS BLANC (1814-1882) – Proclamava o “Direito ao Trabalho” como o mais sagrado de todos os direitos.
  • CHARLES GIDE (1847-1932) – Ilustre economista e doutrinador francês.


O COOPERATIVISMO ORGANIZADO DE ROCHDALE

Com a queda da supremacia da Inglaterra no século XVIII, em decorrência da Revolução Francesa, mudava o panorama do mercantilismo e da economia feudal que influi decisivamente nos costumes do povo, principalmente sobre as classes mais probres tanto do campo como da cidade, cuja carga de trabalho, era de catorze horas diárias para os adultos e dez horas para as crianças, geralmente produzindo em família.

Era grave a crise social que se avizinhava nos meados do século XIX, com o advento da Revolução Industrial, cuja tempestade ideológica se espalhava pelo Velho Continente Europeu, trazendo no seu bojo grande crise econômica e graves problemas sociais.

Com efeito, as mudanças eram tangíveis desde o fim do século anterior, quando Montgolfier conquistava os ares com seu balão de ar; em 1908, navegava nas águas de Hudson o primeiro barco a motor, criado pelo norte-americano Fulton; em 1914 corria sobre trilhos a primeira locomotiva a vapor construída pelo inglês Stephenson.

E assim, grandes conquistas técnicas e científicas, transformaram o mundo nos aspectos morais e econômicos, com importantes descobertas e consequentes mudanças na mecânica, na química, na microbiologia e em muitas outras ciências revelando grandes conquistas científicas, época em que os meios de transportes terrestes , aéreos e marítimos tornaram-se mais rápidos e mais baratos.

Se por um lado a mecanização industrial propiciava a vantagem da organização dos trabalhadores em classes assalariadas, por outro lado gerava desemprego em massa, trazendo consigo miséria coletiva e como consequência, desajustamentos sociais.

Até como instinto natural de sobrevivência, é geralmente, nessas ocasiões de grandes dificuldades, que a sociedade se organiza em defesa de seus interesses comuns.

A idéia de cooperação, da ajuda mútua e da solidariedade entre as pessoas, tem suas raízes na necessidade desse mesmo grupo, de solucionar ou pelo menos aliviar o peso de seus problemas através da cooperação, da mutualidade, que por sua vez são derivadas de um fenômeno espontâneo e natural, denominado ASSOCIAÇÃO.

A origem da Associação ou qualquer forma associativa, como vimos anteriormente, perde-se no tempo, porém as manifestações daquelas épocas eram bem diferentes da doutrina em que se baseia a cooperação da idade contemporânea.

A crise gerando a miséria e em decorrência, a necessidade de preservação da própria subsistência, exigia um posicionamento mais firme, definindo e organizando, por parte da sociedade, a fim de que através de um estudo mais profundo, se chegasse a uma conclusão adequada para o difícil momento em que viviam os habitantes de Rochdale, pequena cidade da Inglaterra, Distrito de Lancas-hire, nas proximidades de Manchester.

O aplaudido cooperativista argentino Repetto, contemplando a difícil tarefa para encontrar-se uma fórmula mágica visando minorar o problema, afirmou que a solução certamente não viria “nem de doutores nem de engenheiros nem sequer de procuradores, profissões que, na época, tinham sensível importância”.


OS PIONEIROS DE ROCHDALE


  • Benjamin Jordan
  • Benjamin Rudman
  • Charles Howarth – Secretário
  • David Brooks
  • George Healey
  • James Bamford
  • James Daly – Secretário
  • James Maden
  • James Manock
  • James Smithies
  • James Standrind
  • James Tweedale
  • James Wilkinson
  • John Bent
  • John Collier
  • John Garsid
  • John Hill
  • John Holt – Tesoureiro
  • John Kershaw
  • John Sconcroft
  • Joseph Smith
  • Miles Ashworth – Presidente
  • Robert Taylor
  • Samuel Ashworth
  • Samuel Tweedale
  • William Cooper
  • William Mallalieu
  • William Taylor

A primeira diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente: Miles Ashworth.
Tesoureiro: John Holt.
Secretário: Charles Howarth e James Daly.

Com todos os méritos mundialemente reconhecidos, os Probos Pioneiros de Rochdale inspiraram-se e fundamentaram a organização de seus princípios modernos, para a época, nas experiêcias, idéias e ensaios que já se vinham evoluindo ao longo do tempo.


Fonte: Pelos Caminhos do Cooperativismo
Com destino ao Crédito Mútuo
Luiz Dias Thenório Filho
1ª. Edição - 1999


Em caso de dúvida, acesse a nossa seção Tire suas Dúvidas ou entre em contato enviando-nos uma mensagem.

Copyright 2015 Barracred Cosan®. Todos os direitos reservados | Desenvolvido pela savemais